L1 News
Por em 30/05/2019 às 23:49

Sônia Chaves sobre inversão das vias: “Pra mim tanto faz. Precisamos de estudo técnico”

Reunião ainda abordou pavimentação asfáltica, instalação de agência bancária e posto policial.

Na manhã da última quarta-feira (29), comerciantes do Lago Azul convidaram a prefeita de Novo Gama, Sônia Chaves, o secretário municipal de Indústria e Comércio, Pedro Colaço, e o administrador do Lago Azul, Gonçalves, para uma reunião afim de reivindicar por melhorias que beneficiam tanto o comércio, quanto a população do bairro.

Em sua primeira fala, Sônia Chaves avisou que não teria muito tempo. Pois, na noite anterior foi avisada pelo senador Vanderlan Cardoso que o mesmo estaria no município para vistoriar a ponte que liga Novo Gama ao Valparaíso de Goiás.

Comerciantes reúnem-se com prefeita para reivindicar melhorias. (Foto: Celio Bomfim / L1 News / CB Fotografia)

Sobre a inversão das vias Comercial e Principal, a prefeita comentou que pra ela tanto faz o sentido.

“Não estamos aqui para prejudicar comércio de ninguém. Pra mim tanto faz o trânsito entrar pra lá, entrar pra cá. O que a gente precisa é de estudo técnico. Nós não podemos falhar. Tem a questão do transporte. Estamos num período de crise”, argumentou Sônia.

A respeito de outra pauta dos comerciantes, a melhoria do asfalto, Sônia respondeu que está com operação tapa buraco em andamento no Lago Azul e que as máquinas só sairão do bairro quando finalizado o serviço em todas as ruas. A prefeita ainda ressaltou a licitação para recapear as principais vias da cidade.

Sônia Chaves se comprometeu a estudar a pauta. (Foto: Celio Bomfim / L1 News / CB Fotografia)

A prefeita finalizou a fala se comprometendo a estudar a pauta e se colocou a disposição para marcar uma outra reunião.

A reunião ainda abordou a necessidade de uma agência bancária e instalação de ao menos um ponto de apoio da Polícia Militar no Lago Azul.

Os comerciantes também tiveram oportunidade de falar. Rodrigo, do Restaurante Paladar, pediu a valorização do comércio local.

“Nós queremos alavancar o nosso comércio para que possamos dar preferência aos nossos comerciantes. Fica chato sair daqui para comprar mercadoria lá fora. Nosso comércio está parado. Tem comerciantes antigos, baixando as portas. Deixar aqui, o que a gente rende aqui”, discursou.

Galeria de Fotos

(Fotos: Celio Bomfim / L1 News / CB Fotografia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *