ANTT estuda abrir licitação para que novas empresas de transporte explorem serviço no Entorno do DF

Transporte público tem sido alvo de diversas manifestações dos moradores da região do entorno.

Por em 21/06/2013 às 19:45

Após se reunir, com moradores de Valparaíso, Cidade Ocidental e Luziânia (GO), que protestavam por melhoria do transporte público, o superintendente de fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Nauber Nunes, informou que o órgão estuda a possibilidade de abrir processo licitatório para permitir que outras empresas explorem o serviço na região. A ANTT é responsável pela fiscalização dos ônibus que circulam entre as cidades de Goiás e o Distrito Federal.

Atualmente, segundo Nunes, apenas a Viação Anapolina responde pelo transporte de passageiros no local. O superintendente da ANTT destacou que um ofício, prevendo a quebra do monopólio, foi encaminhado pelo governo de Goiás à agência, mas ainda é preciso firmar acordo com o governo do Distrito Federal.

– O grande desafio é que são vários agentes intervindo no planejamento do transporte da região. Estamos terminando a análise [do documento] e diante do interesse de todos os parceiros envolvidos, acredito que em pouco tempo esse convênio será assinado – disse.

Em resposta à preocupação dos manifestantes com relação ao reajuste no preço da passagem, previsto para 1º de julho, o representante da ANTT garantiu que a agência não vai permitir elevação nas tarifas até que sejam registradas melhorias nos transportes.

O secretário do Entorno de Goiás, Gilvan Máximo, espera que até o final do ano novas licitações sejam abertas para o transporte público da região do entorno.

-A parte de Goiás já está pronta, se todos tiverem boa vontade, dentro de seis meses abrem-se novas licitações. O transporte aqui é realmente péssimo, só tem sucata em circulação – conta o secretário.

Na manhã da última quarta-feira (19),  moradores da região do Valparaíso protestaram por melhorias na qualidade dos transportes. Os manifestantes chegaram a interromper o trânsito das duas vias da BR-040. Nesta sexta, foi a vez do população do Novo Gama protestar contra a qualidade e o preço dos coletivos que circulam na região.

Fonte: ISTOÉ Dinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *